No Império Romano quando o momento era de crise, tudo era escasso, para o povo se acalmar, não reclamar e, não se revoltar contra o poder dominante da época, era utilizado à política do “pão e circo”.  Esses espetáculos envolviam homens e animais selvagens, também eram realizados eventos como corridas de bigas, quadrigas, acrobacias, bandas, palhaços e corridas de cavalos.

Enquanto o espetáculo acontecia, alguns servos eram incumbidos de jogar pão nas arquibancadas. Dessa forma o povo não reclamava dos problemas que os acometia ou alguma crise política que poderia estar em pauta no momento.

A política do pão e circo que foi muito utilizada na Roma antiga continua muito atual na cidade de Ecoporanga, o que demonstra mudarem-se os povos, os lugares, mas não o modo de agir do ser humano, na gestão do Prefeito Elias Dal Col, que se intula o defensor das criancinhas, dos idosos e melhor funcionário público do Brasil segundo e Jesus Cristo, que saiu do Calvário para salvar Ecoporanga.

Pois bem…

O município de Ecoporanga encontra-se em estado de calamidade pública, com a população sem acesso aos seus direitos básicos.

Falando sobre a saúde no município de Ecoporanga, a atual gestão, apesar dos “gastos” com a saúde, ainda não se viu melhora alguma, o que temos vistos, são postos de saúde sem médicos e sem medicamentos, hospital sem o mínimo de condições para atender a população, vale ressaltar que o municipio repassou para o hospital esse ano, cerca de setecentos mil reais e agora abriu um aditivo de mais quinhentos mil reais, isso sem falar nas emendas federais encaminhadas pela bancada dos deputados federais!
Outra carência vêm da educação, segundo informações, estariam faltando desde material de limpeza nas escolas, bem como merenda escolar, recentemente recebemos queixas de pais de alunos das escolas, que ficam no Córrego do Barbosa e da escola Rural, que, as crianças estariam fazendo suas necessidades no mato! Cadê os Banheiros? Em outubro, o prefeito Elias Dal’Col, gastou cerca de R$ 135.000,00 (cento e trinta e cinco mil reais) com parque para as ‘criancinhas’ que ele tanto ama, dinheiro que poderia ser utilizado na compra de remédios e outras necessidades das criancinhas de Ecoporanga. Nada contra a diversão das crianças” entretanto a saúde em primeiro lugar.

Sempre abusado ao falar, como se a maioria das pessoas acreditasse no seu discurso visguento, Elias Dal Col, insiste em dizer que ele é o melhor prefeito do Brasil “das criancinhas” e que vai se reeleger como o melhor prefeito do Brasil vai ficar na história de ECOPORANGA.

O prefeito Elias Dal Col pode dizer o que quiser, até porque a Constituição Federal garante o direito à livre manifestação do pensamento, mas não pode querer que a população acredite em suas palavras.

O que chama a atenção é que o Prefeito insiste em utilizar as suas redes sociais para dizer  que a cidade é um eterno paraíso, sempre posando para as fotos se fazendo de bom moço o SALVADOR DA PÁTRIA, amigo das criancinhas, dos idosos e dos idefesos. Mas será que ele ao abraçar e beijar essas humildes pessoas pergunta como está a sua casa, se tem um leite para aquela criança beber, se ela está sendo bem atendida em uma unidade de saúde, se na escola dela tem PAPEL HIGIÊNICO no banheiro para ela fazer suas necessidades fisiológicas, as que moram na zona rural se pai, o pequeno produtor rural teve condições e escoar a sua pequena produção por falta de incentivo a agricultura.

Na fotografia tudo é belo, mas o Prefeito Elias Dal Col ainda deve uma explicação minimamente convincente sobre o escândalo de corrupção na MÁFIA DO LIXO que levou preso o seus fieis escudeiros PINTINHO e ROBÉRIO. Pintinho que até então era considerado e tratado como um filho e deixou isso tudo acontecer e hoje vem dizer que não sabia de nada.

Enquanto na FOTOGRAFIA TUDO É BELO, a limpeza pública deixa a desejar, é lixo pra todo lado na cidade, na saúde o Prefeito se intitulando JESUS CRISTO O SALVADOR DA PÁTRIA, faz visitas ao hospital levando palavras de conforto aos acamados, como se isso fosse suficiente para salvar do caus que o povo sofre por falta de assistência na saúde.

Basicamente essa é a POLÍTICA DE PÃO E CIRCO que vive hoje Ecoporanga, em que se prega que tudo está lindo, sempre promovendo muitos espetáculos para o povo sofrido, para que este, embriagado por essas dádivas, se desligue dos problemas na alta administração imperial e não se revoltasse.

Com isso, os governantes continuavam a dirigir o império da maneira como queriam. Assim faz claramente o atual Prefeito de Ecoporanga Elias Dal Col.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui